Busca  
  Antiguidade   
Ciências Humanas e suas Tecnologias.  

Estrela, cometa ou planeta?

Pesquisadores ainda têm dúvidas sobre o que poderia ter causado o brilho que guiou os Reis Magos até a manjedoura de Jesus. Para alguns, foi um cometa das proporções do Halley. Isso explicaria a representação comum da estrela com uma cauda. Para outros, foi a explosão de uma grande estrela ou uma conjunção planetária.

Cometa. Quando o Halley passou próximo à Terra, em 1910, seu brilho ocupou quase metade do céu por muitos dias. Na época, muitos pensaram tratar-se da Estrela de Belém. A hipótese de que o Halley teria guiado os Reis Magos está descartada. Afinal, sua passagem mais próxima aconteceu no ano 11 a.C. – antes do nascimento de Cristo, portanto. Poderia, no entanto, ser outro cometa qualquer. Ou não: como astrônomos, os Reis Magos saberiam reconhecer um cometa e dificilmente aceitariam que a vinda do Messias fosse anunciada por um astro que na época era considerado agourento, portador de más notícias e catástrofes.

Supernova. Quando uma grande estrela explode, pode adquirir um brilho 100 milhões de vezes maior. Conhecido como supernova, esse fenômeno pode ficar visível no céu por muito tempo. Em 1572, por exemplo, foi registrado o surgimento repentino de uma estrela tão brilhante que podia ser vista até mesmo durante o dia. Seu brilho permaneceu no céu por 17 meses. Na época, alguns chegaram a dizer que a Estrela de Belém estava novamente mostrando seu brilho. Outros acreditaram que esta supernova estaria anunciando um segundo Messias ou o nascimento do Anticristo.

Fique ligado!
A ideia de que a estrela-guia foi um cometa é tão comum que todas as representações da cena trazem a estrela com cauda típica dos cometas.

Conjunção. Em 7 a.C. – ano que os historiadores consideram como sendo o do nascimento de Jesus –, uma aproximação aparente de Júpiter e Vênus, na altura da constelação de Peixes, produziu no céu um ponto de brilho excepcional, que durou alguns meses. Astrônomos persas, atraídos à Palestina pela luz da estrela, poderiam ser os Magos do Oriente mencionados no Evangelho de Mateus. Essa conjunção planetária é comprovada pelas cartas celestes da época.



Anterior Início