Busca  
  Era Contemporânea   
Ciências Humanas e suas Tecnologias.  

Caudilhismo e Populismo

Caudilhismo

Para as elites agrárias, a política era a extensão de seus negócios. Isso favoreceu o aparecimento de líderes regionais, civis ou militares, conhecidos como caudilhos, que assumiam o poder para defender os interesses de um determinado grupo oligárquico, governando de forma autoritária ou não. Portanto, o caudilhismo, fenômeno característico da América Latina após a independência, relaciona-se à manutenção do latifúndio e da economia agroexportadora.

Populismo

O populismo pode ser definido como uma política de manipulação das massas urbanas, com o objetivo de mantê-las sob controle do Estado. Carismáticos, os líderes populistas desenvolveram políticas paternalistas e nacionalistas, a fim de obter apoio dos trabalhadores urbanos, atendendo-lhes certas reivindicações. Apesar disso, esses líderes não abandonaram as vinculações com os grupos dominantes e, apesar do discurso nacionalista, não romperam com os Estados Unidos. Na Argentina, Juan Domingo Perón foi o maior representante desse tipo de Estado. Fenômeno urbano, o peronismo seduziu as massas populares após a Segunda Guerra Mundial com propostas nacionalistas e modernizadoras. Principal agente do desenvolvimento industrial, o Estado paternalista alicerçou-se no carisma de Perón e no de sua esposa Evita para controlar organizações sindicais e mobilizar os trabalhadores de forma bem personalista.

Evita (1919-1952)

Verdadeira "lenda viva", Eva Perón tinha grande habilidade política. Recebia delegações sindicais, dominava a Fundação Eva Perón e pedia ajuda da sociedade para os necessitados – os "descamisados". Conhecida como Dama da Esperança, Mãe dos Inocentes e Plenipotenciária dos Operários, influenciou a vida política e social da Argentina até sua morte (1952).

Benefícios aos descamisados

Medidas concretas de justiça e bem-estar social beneficiaram os descamisados: distribuição de bens e remédios, oferta de empregos, aumentos salariais. A estrutura agrária, porém, permaneceu intacta, pois a proposta de reforma agrária não saiu do discurso. Desenvolveu-se o justicialismo, que sobreviveu à queda de Perón em 1955, garantiu sua reeleição em 1973 e se perpetuou após sua morte no ano seguinte, apesar da violenta ditadura militar (1976-1983).


Anterior Início Próxima