Busca  
  Era Contemporânea   
Ciências Humanas e suas Tecnologias.  

A descolonização da Ásia

A descolonização começou nas colônias do Sudeste Asiático. A Indonésia e Indochina negaram-se a continuar sob o domínio dos Países Baixos (Holanda) e da França, respectivamente.


Indonésia

A Indonésia, arquipélago formado pelas ilhas de Java, Sumatra e várias outras, era colônia da Holanda desde o século XVII. Sob a liderança de Ahmed Sukarno, tornou-se independente em 1949, adotando um governo autoritário ('democracia dirigida') e de aproximação com a China comunista.


Indochina

A Indochina tornou-se colônia francesa em 1887, com o nome de União Indochinesa. Era formada por Vietnã, Laos e Camboja. O domínio francês ficou restrito após 1940, quando a região foi ocupada pelos japoneses. Essa ocupação estimulou o nacionalismo, representado pelo Vietminh (Liga Revolucionária para a Independência do Vietnã), criado em 1941 pelo líder comunista Ho Chi Minh, que, em 1945, após a rendição japonesa, proclamou a independência da República do Vietnã. A resistência francesa em reconhecer a libertação da colônia arrastou a região para uma guerra entre 1946 e 1954 (Guerra da Indochina). A Conferência de Genebra (1954) reconheceu a independência do Laos, do Camboja e do Vietnã. Este último foi dividido em dois pelo paralelo 17: Vietnã do Norte, comandado por Ho Chi Minh, e Vietnã do Sul, governado por Ngo Dinh Diem. A reunificação, prevista para 1956, não aconteceu e várias medidas do governo sul-vietnamita – amparado pelos Estados Unidos – causaram um dos mais violentos conflitos da bipolarização, a Guerra do Vietnã (1960-1975).


Timor

Colonizada por Portugal no século XVI, a ilha de Timor foi dividida por portugueses e holandeses no século XIX. Após a Segunda Guerra, a Indonésia, independente da Holanda, ficou com a parte oeste da ilha. No Timor Leste, a luta pela libertação causou o confronto entre a conservadora União Democrática Timorense (UDT) e a esquerdista Fretilin. Diante da vitória da Fretilin, em 1975, autoridades lusas abandonaram a ilha. Alguns dias depois, a Indonésia invadiu a parte leste, anexada no ano seguinte. O domínio indonésio, de mais de 20 anos, teve como base a repressão cultural, a violência militar e a fixação de muçulmanos (religião predominante na Indonésia). O descaso da comunidade internacional diante do terror imposto aos timorenses durante a Guerra Fria não desanimou a força de um povo que nunca deixou de acreditar no seu direito à autodeterminação. A guerra civil destruiu o país que finalmente conquistou sua independência em 1999 e elegeu seu primeiro presidente em 2002, o ex-líder guerrilheiro Xanana Gusmão.


Anterior Início Próxima