Busca  
  Era Contemporânea   
Ciências Humanas e suas Tecnologias.  

Antecedentes

Os anos de 1920 foram conturbados em toda a Europa por causa do caos econômico e social causado pela Primeira Guerra Mundial (1914-1918). A situação era pior na Alemanha. A crise econômica era grave e a inflação, galopante: 1 dólar valia 401 marcos em julho de 1922; em novembro de 1923, valia 4 bilhões de marcos. Os preços subiam três vezes por dia – um pão chegou a custar 200 bilhões de marcos.

Em 1918, o Kaiser (imperador) alemão Guilherme II foi destronado. Começou a República de Weimar (cidade onde foi redigida a Constituição), que instituiu um governo democrático. Porém, a crise econômica levou à instabilidade política. As greves multiplicaram-se, inspiradas pela Revolução Russa, e os grupos antidemocráticos colocaram-se contra o regime. Em 1923, o líder de um pequeno partido, Adolf Hitler, tentou derrubar o governo. O Putsch (golpe) da Cervejaria fracassou e Hitler foi preso.

A ascensão nazista

Você sabia?

Em 1932, foi criada a Ação Integralista Brasileira (AIB), liderada por Plínio Salgado, admirador de Hitler e de Mussolini. Conhecidos como camisas-verdes, os integralistas usavam uma braçadeira com o sigma (letra grega) e saudavam-se com a palavra indígena anauê, que significa salve. Em 1938, tentaram um golpe contra Getúlio Vargas. Muitos rebeldes foram mortos e Plínio Salgado exilou-se em Portugal.
Em 1924, a economia alemã começou a reorganizar-se, mas o alívio foi breve: a crise mundial provocada pela Queda da Bolsa de Valores de Nova York em 1929 devastou a Alemanha, que ainda tinha de arcar com o pagamento das dívidas de guerra, imposto pelo Tratado de Versalhes. Os capitalistas deixaram de investir no país e a miséria atingiu 6 milhões de desempregados.

A insatisfação da população teve consequências diretas na política: entre 1930 e 1932, o Partido Nazista passou de 170 para 230 cadeiras no Reichstag (Parlamento) e, em 1933, Hitler foi nomeado chanceler (primeiro-ministro).

A propaganda foi desde o começo uma das maiores armas dos nazistas: eles incendiaram o Reichstag e puseram a culpa nos comunistas – um pretexto para restringir todas as liberdades civis e políticas: a liberdade de expressão, de reunião e de organização.

O governo nazista interveio diretamente na educação das crianças e dos jovens, que deviam filiar-se à Hitler-Jugend – Juventude Hitlerista –, na qual lhes ensinavam todos os princípios da ideologia nazista, como sua superioridade em relação às outras "raças".


Anterior Início Próxima