Busca  
  Idade Média   
Ciências Humanas e suas Tecnologias.  

A difusão pela Europa

A difusão da peste negra. Clique na imagem para ampliar.
A epidemia se espalhou ao longo das vias comerciais europeias, primeiro pelo sul e pelo oeste, depois pelo norte e pelo leste. No ano de 1348, a peste entra na Europa ocidental pela Sicília, passando então para a península italiana. Com uma velocidade vertiginosa, propaga-se nesse mesmo ano pelo sul da França e pela região de Catalunha-Aragão; entra então na Inglaterra pelo pequeno porto de Dorset. Em 1349, espalha-se pelo reino da França e por toda a Península Ibérica, atingindo também Flandres, Renânia, Escandinávia e as costas do Mar Báltico.

A necessidade de fugir

O pânico tomou conta da população. A peste durava entre seis e sete meses em
cada cidade. O medo era tão grande que as pessoas abandonavam os doentes.
Muitas vezes, os habitantes tinham de ser obrigados, mediante recrutamento forçado,
a enterrar os mortos.

A reflexão na arte

A inquietude espiritual da época é refletida na arte. A pintura é mais realista e devota.
Jesus é representado como um homem ferido, padecendo de dores. Maria, não aparece
como rainha dos céus, mas como a mãe que sofre e que sente. Depois de cada
recrudescimento da peste, celebravam-se missas e procissões.

Os sacrifícios

A peste negra era considerada um castigo divino. Aparece o movimento dos Flagelantes, que pregavam a penitência e a flagelação do corpo. Esses hereges foram condenados pelo papa Clemente I, pois suas pregações sobre a ira divina e o fim do mundo desencadeavam a histeria coletiva.


Anterior Início