Busca  
  Cultura Brasileira   
Ciências Humanas e suas Tecnologias.  

Terra do barreado e do churrasco

A região Sul é considerada por muitos um "outro Brasil" por causa de sua peculiar formação. Os três Estados que a compõem foram ocupados predominantemente por imigrantes italianos, alemães e poloneses, a partir do século XX. Essas diferenças podem ser sentidas na culinária local.

Novos povoadores

A influência alemã é marcante nos estados do Sul do País.
Em 1824, problemas políticos e econômicos na Alemanha causaram a vinda dos primeiros alemães para o Brasil, que se fixaram no Rio Grande do Sul e depois em Santa Catarina. Já os italianos chegaram ao nosso país a partir de 1875, estabelecendo-se, primeiramente, na região serrana do Rio Grande do Sul e, depois, em Santa Catarina. Os holandeses fundaram no Rio Grande do Sul a colônia Não-me-Toque. Tchecos, poloneses, russos e ucranianos instalaram-se no Paraná.

A população local ainda hoje é composta predominantemente por descendentes desses imigrantes que aqui aportaram, sendo o grau de mistura étnica na região bem menor do que no restante do País. Trazidos para ocupar o território, esses estrangeiros vieram como povoadores da região e não como mão de obra, como nos casos dos negros africanos ou dos imigrantes que se dirigiram para São Paulo. Isto explica o fato de encontrarmos no Sul do país traços quase intactos de hábitos culturais típicos de países europeus. E a gastronomia da região se enquadra no cenário.

Pratos ancestrais

No Paraná, um dos pratos mais tradicionais é o barreado.
Os pratos que paranaenses, catarinenses e gaúchos consomem são basicamente os mesmos de seus ancestrais europeus. As salsichas e embutidos de origem alemã, as massas trazidas da Itália e o consumo da batata formam a base da culinária de boa parte da população sulina. Não nos esqueçamos do vinho produzido na Serra Gaúcha, o melhor do País. Entre os poucos pratos com gosto realmente brasileiro, podemos citar o barreado. Receita típica do Paraná, é feita de carne – em geral cordeiro, bezerro ou cabrito – cozida durante 12 horas dentro de uma panela hermeticamente fechada, e servida com farinha de mandioca, banana, laranja e arroz.

Churrasco, tchê!

O churrasco é um verdadeiro ritual, que começa com a escolha das carnes e é apreciado em meio a longas conversas ao redor do fogo.


Chimarrão é uma bebida típica do Sul e é bebido quente
Já o Rio Grande do Sul é responsável por um dos mais conhecidos e representativos pratos do Brasil, apreciado em todas as regiões: o churrasco. Mais do que uma receita típica, o churrasco é quase um ritual, que começa no dia anterior, com a escolha da carne e a vistoria da churrasqueira. No dia marcado, tudo deve estar pronto: o braseiro bonito, os aperitivos para abrir o apetite e os espetos com os vários tipos de carne. Essa carne deve ser apreciada sem pressa, de preferência ainda na tábua de corte. É coisa para a tarde inteira: comer, beber, jogar conversa fora. Um verdadeiro retorno às ancestrais reuniões em torno do fogo.


Anterior Início