Busca  
  Geografia   
Ciências Humanas e suas Tecnologias  

Nova ordem mundial

Existe uma nova relação de poder entre os países após a crise do socialismo.

Disputa entre países
A ordem internacional estabelecida após o término da Segunda Guerra Mundial e mantida até a crise do socialismo, em 1991, caracterizou-se pela bipolarização: uma disputa entre os Estados Unidos e a União Soviética pela hegemonia mundial. A bipolarização de poderes tornou as relações internacionais no pós-guerra tensas e preocupantes, mesmo sem choque bélico  direto entre as duas superpotências. Era a Guerra Fria, período no qual a "paz seria impossível e a guerra, improvável". A grande contradição desse período foi o conflito entre o capitalismo e o socialismo. Com a crise do socialismo e o fim
da Guerra Fria, estabeleceu-se uma nova ordem mundial definida como multipolar.

Muro de Berlim
Após 1945 e o fim da Segunda Guerra Mundial, o choque entre capitalistas e socialistas ficou mais evidente. A cidade de Berlim na Alemanha foi o primeiro grande palco dessa fase. A cidade foi bloqueada pelos soviéticos, e os norte-americanos montaram uma ponte aérea para abastecer a parte capitalista. Posteriormente, os soviéticos construíram um muro para dividir os lados ocidental e oriental.

O final dessa disputa coincidiu com a morte de Stálin e com a diminuição do atrito entre URSS e EUA: era a fase da coexistência pacífica. Nessa fase, porém, ocorreram alguns dos incidentes mais sérios da Guerra Fria, como a Crise dos Mísseis em Cuba, quando os EUA quase foram à guerra para impedir a instalação de mísseis soviéticos em território cubano. A Guerra Fria atingiu ainda o Vietnã nos anos 60 e chegou até a corrida espacial.

Na década de 1980, com a glasnost e a perestroika, o bloco soviético perdeu sua coesão. A rigor, era o fim da Guerra Fria. O símbolo maior desse fim foi a demolição do Muro de Berlim e a reunificação das Alemanhas. Permanece a divisão das Coréias, e Cuba continua marginalizada no cenário mundial pela pressão norte-americana.

Novas rivalidades
Hoje, a rivalidade é muito mais econômico-comercial do que político-ideológica e envolve três centros econômicos e tecnológicos, representados por Estados Unidos, Japão e países da Europa Ocidental. As tensões atuais no mundo são decorrentes, entre outras causas, do desemprego em massa provocado pelas inovações tecnológicas, das migrações internacionais, da xenofobia e do agravamento das contradições étnico-nacionais, religiosas, culturais ou ambientais.


O domínio hegemônico dos EUA representa a chamada Pax Americana, que se faz acompanhar de intervenções militares em zonas de seu interesse, tais como: Iraque (Guerra do Golfo), Iugoslávia (Guerra do Kossovo) e Afeganistão (após os atentados no Pentágono e World Trade Center). Associada à hegemonia militar norte-americana, desenvolve-se a tendência à globalização da economia, conhecida como Nova Ordem Mundial.

O crescimento do desemprego e as perspectivas de uma recessão em escala global vêm provocando uma onda de manifestações antiglobalização.

Veja também
Clique aqui e leia mais sobre a globalização.